Caminho de Santiago de Compostela

A paixão já surge nos preparativos, estudo das rotas, organização da mochila, pesquisa de dicas, análise de percursos e das altimetrias, no planejamento dos pontos de parada, albergues, hotéis… enfim, quando se inicia o projeto: INICIA-SE o CAMINHO!

Existem vários caminhos até Santiago de Compostela, o primitivo, o do norte, o do leste, o Inglês, pelo litoral, e os de Portugal e o Francês.

Escolhi o Caminho Francês por ser o caminho original, com bastante infraestrutura e muitos peregrinos. A grande maioria inicia o percurso em Saint-Jean-Pied-de-Port na França que fica a 820 km de Compostela (aproximadamente de 30 a 35 dias de caminhada).

Usamos a denominação de “Etapas” cada um dos dias que um Peregrino percorre o Caminho de Santiago em qualquer de suas rotas. Há etapas de 18 km e etapas de 31 km, mas a média é de 23 a 25 km por dia.

As distancias a serem percorridas devem estar alinhadas ao nosso preparo físico e à exigência do trecho em relação à altimetria. Para aproveitar o Caminho de Santiago em sua essência e plenitude deve se evitar correrias e excesso de quilometragem diária.

 

Considerando a minha disponibilidade de tempo, ao estudar a rota defini como meu ponto de partida León (315km de Compostela) e me planejei para 15 etapas levando em consideração o meu baixo preparo físico. Abaixo segue o meu planejamento inicial das etapas

311km-GianaCaproni_CaminhoSantiago2019
 

MOCHILA_ Organização e Aprendizados!!

Logo no início ajustei meu planejamento inicial pois identifiquei que meus pontos de parada estavam concentrados nas cidades maiores, e ao contrário disso, minha preferência era ficar nas vilinhas: os pueblos.

Considerando o aquecimento inicial (percursos na faixa dos 20/25km e, a preferencia por dormir nas vilinhas e não nos grandes centros) meu caminho foi totalmente redesenhado conforme segue:

O Caminho é muito mais que a origem e o destino de cada etapa. O caminho é: a riqueza das paisagens, o cheiro da mata, saborear as frutas oferecidas pela natureza, o barulho dos rios, o amanhecer e a oportunidade de conhecer a história de cada lugar e potencializar o contato humano, com os moradores das cidades, com os hospitaleiros e com outros peregrinos.

Leave a Reply

Your email address will not be published.